Região Seridó inicia expansão de leitos Covid


Além da Região Metropolitana e o Oeste, a Região do Seridó também integra o plano de expansão de leitos Covid do Governo do RN. Foram cadastrados, na sexta (5), no Sistema Regula RN mais dois leitos clínicos no Hospital Regional Mariano Coelho, em Currais Novos, e um leito de UTI no Hospital Regional Telecila Freitas Fontes, em Caicó. Nos próximos dias serão abertos mais quatro leitos de UTI em Caicó e novos leitos clínicos em Currais Novos.

“O Seridó foi uma região de saúde que não precisou encaminhar pacientes para outras regiões porque, diante da capacidade instalada, sempre conseguiu fazer a resolução das situações. Mas, no momento, visualizamos uma taxa de ocupação de 100% dos leitos críticos e um cenário de aumento de mortalidade. Estamos correndo para expandir leitos, mas cabe ressaltar que o caminho não é apenas expandir leitos. Precisamos fazer cumprir os decretos, fortalecer o Pacto pela Vida, defender o SUS e manter o distanciamento social como uma premissa fundamental para que a gente possa, nos próximos dias, reduzir esse cenário na região do Seridó”, pontuou a secretária adjunta da saúde, Maura Sobreira.

O Governo do RN vem investindo em todas as regiões de saúde fortalecendo e descentralizando serviços durante todo o contexto da pandemia da Covid-19. A Região do Seridó teve investimentos de mais de 5 milhões de reais em equipamentos e mais de 10 milhões em custeio anual, para que a rede assistencial fosse instalada e mantida.

Desde o ano passado, para enfrentar a pandemia, foram montados 30 leitos de UTI Covid no Hospital Regional de Caicó, além de 18 leitos clínicos. Em Currais Novos, o Hospital Mariano Coelho – referência em atendimento materno-infantil – recebeu cinco leitos de UTI e 7 leitos clínicos.

Em Caicó – onde o hospital regional conta com um tomógrafo – e Currais Novos, os equipamentos de raio-x e ultrassonografia vem dando suporte no diagnóstico e acompanhamento de pacientes Covid e outras patologias de toda a região Seridó. Mais de 8 mil pacientes suspeitos ou confirmados  Covid  foram atendidos no pronto atendimento durante a pandemia, com quase 1.000 altas nas duas unidades hospitalares.