Bolsonaro: se veto cair, saúde poderá pagar a conta por absorvente gratuito


Foto: pixabay

O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo (10.out.2021) que precisará “tirar dinheiro da Saúde e da Educação” para bancar a distribuição gratuita de absorventes femininos caso o Congresso derrube o veto presidencial à proposta.

O chefe do Executivo vetou na última semana projeto de lei que determinava a distribuição de absorventes para mulheres de baixa renda. Em entrevista à imprensa no Guarujá (SP), onde passao feriado, Bolsonaro reafirmou que vetou o texto para não incorrer em crime de responsabilidade porque o projeto não apresenta uma fonte de custeio para bancar a medida.

“A despesa ela [deputada Marília Arraes (PT-PE), autora do projeto] alega ser R$ 100 milhões. É muito mais, pela quantidade de pessoas, pela distribuição. Não é a cegonha que vai levar, tem logística de distribuição. O veto é em função disso. Se o Congresso derrubar o veto, vou tirar dinheiro da saúde e da educação, tem que tirar de algum lugar”, declarou.

Bolsonaro disse neste domingo que se houvesse receita disponível, a medida seria adotada. “Se tem fonte de receita, sem problema nenhum. Sei da dificuldade de comprar. Mas fazem cálculo com preço lá embaixo”, afirmou.

Depois de críticas de congressistas e da repercussão negativa, o governo afirmou na 6ª feira (8.out) que “irá trabalhar para viabilizar a aplicação dessa medida, respeitando as leis que envolvem o tema, para atender de forma adequada as necessidades dessa população”.

O chefe do Executivo também disse que a proposta está sendo usada com fins eleitoreiros para colocá-lo como o “malvadão” por ter vetado o projeto. “Muita gente vai ganhar voto em cima disso”, afirmou.

Poder360