23 de fevereiro de 2018

Vereador Raniere Barbosa reassume presidência da FECAM


O presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Raniere Barbosa (PDT), reassumiu, nesta quinta-feira (22), a presidência da Federação das Câmaras Municipais do Estado do Rio Grande do Norte (FECAM/RN). O parlamentar, que permanece no cargo até janeiro de 2019, destacou a continuação dos trabalhos desenvolvidos e os novos desafios à frente da FECAM.

“É uma honra voltar à Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte para poder dar continuidade ao trabalho que foi planejado em torno de uma gestão compartilhada, visando principalmente o fortalecimento das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte, assim como a valorização dos vereadores e, acima de tudo, a conquista e a confiança da população através das ações de capacitação e qualificação dos assessores e da estrutura organizacional das Câmaras”, afirmou Raniere Barbosa.

O vereador adiantou que serão firmados novos convênios para a realização de cursos e projetos como, por exemplo, o “Internet para Todos”, que é uma parceria com o Governo do Estado. “Também teremos o ‘Câmara Cidadã’, que desenvolverá ações de cidadania nos bairros. Daremos continuidade aos cursos realizados em parceria com o ITB, agora teremos o apoio também da Fundação Ulysses Guimarães e parcerias com a Escola do Legislativo, Escola da Assembleia e Escola do Tribunal de Contas. São ações importantes para fortalecer e consolidar as Câmaras Municipais”, finalizou Raniere.

A vereadora Izabel Montenegro (MDB), presidente da Câmara Municipal de Mossoró, enalteceu o trabalho realizado pelo vereador Raniere Barbosa como presidente da Federação das Câmaras Municipais do Estado do Rio Grande do Norte.

“O trabalho de Raniere valorizou todas as Câmaras dos 167 municípios do estado, mesmo as pequenas. Através de cursos os vereadores, assessores e servidores foram capacitados e qualificados, houve também uma mudança de imagem das Câmaras Municipais perante à população. A distância entre os gestores municipais e estaduais ficou menor “, explicou Izabel Montenegro.