Pato em Copacabana

Campanha contra impostos leva pato gigante à praia de Copacabana


Símbolo da campanha da Federação da Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) contra o aumento dos impostos, um pato inflável gigante amanheceu na praia de Copacabana neste domingo (25).

A próxima parada é Salvador. “Vamos percorrer todo o Brasil”, disse Skaf, que defendeu corte de gastos no governo ao invés de aumento de impostos.

Chamada “Não vou pagar o pato”, a campanha tem como objetivo angariar 1 milhão de assinaturas contra o aumento de impostos.

Foi iniciada em São Paulo e já passou por Brasília, Araras, Presidente Prudente, Votuporanga e Guarulhos, antes de chegar ao Rio, onde foram distribuídas 2 mil miniaturas do pato gigante.

Até agora, são quase 850 mil assinaturas, segundo o site da campanha. Pelas contas dos organizadores, até as 12h deste domingo, houve 700 adesões em Copacabana.

Presente ao evento, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, disse que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e prefeito Eduardo Paes “estão errados” ao apoiar a volta da CPMF.

“Se defendem o aumento de impostos, estão errados”, afirmou. Skaf recebeu o apoio do presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira.