05 de fevereiro de 2019

Bombeiros civis do RN desembarcam para missão em Brumadinho


A delegação de bombeiros civis do Rio Grande do Norte que foi à Brumadinho para uma missão voluntária já chegou em território mineiro. Os potiguares já fizeram o cadastro junto à Defesa Civil de Minas Gerais e iniciaram as atividades na manhã desta terça-feira (05). Eles saíram de Natal para a missão na última quinta-feira (31).

“Vamos ao Parque das Cachoeiras onde estão a maior concentração de pessoas desabrigadas, que também foi afetada pelo desastre. Assim que chegarmos lá vamos dar apoio algumas famílias, com distribuição de mantimentos, donativos, material de higiene pessoal, bebidas de reposição energética e estamos levando pessoas do centro de valorização à vida para dar apoio emocional”, informou o porta-voz do grupo, o socorrista Ednaldo Lins.

A equipe de bombeiros civis do RN é composta por oito profissionais ao todo, sendo quatro natalenses, três mossoroenses e um membro do Ceará. O objetivo é ajudar nas ações humanitárias para a cidade de Brumadinho, que sofre com o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, no último dia 25 de janeiro.

Intitulada “Missionário da Vida”, a equipe, conforme contam os integrantes do grupo, é multidisciplinar, contando com bombeiros civis, técnicos em enfermagem, enfermeiros e socorristas.

“Temos a capacidade técnica de atuarmos na área de resgate. O pessoal da Defesa Civil já solicitou a nossa equipe para irmos a uma área devastada para fazermos o reconhecimento e dar um suporte no tocante a identificação de alguma vítima ou corpo. É uma mata fechada e vamos dar esse apoio à Defesa Civil para que eles cheguem até lá e a gente está fazendo essa vistoria do local”, concluiu.

A expectativa é de que a delegação potiguar fique em Minas Gerais por oito dias.

Brumadinho
O rompimento de uma barragem de rejeitos da Vale aconteceu na sexta=feira (25), e em termos humanos, já é o maior desastre ambiental da história do Brasil. De acordo com o último levantamento da Defesa Civil de Minas Gerais, são 134 mortos, 120 deles identificados. Outras 199 pessoas estão desaparecidas.