Banco do Nordeste injetou mais de R$ 3 bilhões no Rio Grande do Norte em 2018


O Banco do Nordeste injetou mais de R$ 3,7 bilhões na economia do Rio Grande do Norte em 2018. Os valores fazem parte das ações para liberação recursos em programas de acesso ao crédito, segundo informações do balanço patrimonial da instituição publicado na última quinta-feira, 21,

Segundo Fabrizzio Leite Feitosa, superintendente do Banco do Nordeste no Rio Grande do Norte, a instituição liberou mais de R$ 630 milhões para programas de microcrédito.

Segundo o balanço patrimonial da instituição de 2018, o lucro líquido do Banco do Nordeste apurado em 2018 foi de R$ 725,5 milhões. O banco atua nos nove Estados nordestinos e norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

O valor foi 6,4% maior do que o do exercício anterior, quando foram registrados R$ 681,7 milhões. O resultado operacional da instituição no ano foi de R$ 1,243 bilhão e indicou crescimento de 8,3% em relação a 2017.

O patrimônio líquido do Banco do Nordeste chegou a R$ 4,182 bilhões no final de 2018. O capital social importava em R$ 2,844 bilhões. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido médio da instituição foi de 19% ao ano.

“Mas é sempre importante enfatizar que uma unidade de desenvolvimento, como é o Banco do Nordeste, não pode ser avaliado apenas pela lucratividade. Nosso maior resultado é o impacto que proporcionamos nas vidas das pessoas”, diz Fabrizzio Leite Feitosa, em entrevista ao programa “Agora em Debate”, apresentado por Roberto Guedes na rádio Agora FM (97,9)

Em 2018, o banco realizou R$ 43,6 bilhões em aplicações. Empreendimentos localizados no Semiárido receberam R$ 16,3 bilhões. Ao todo, foram contratadas quase 5 milhões de operações de crédito no exercício, 64,8% a mais que em 2017.

Os financiamentos de longo prazo destinados a investimentos rurais, industriais, agroindustriais, infraestrutura, comércio e serviços foram destinatários de 75,7% dos recursos e somaram R$ 33 bilhões, divididos em 577 mil operações.

As micro e pequenas empresas contrataram R$ 2,9 bilhões, valor 10,8% superior ao registrado em 2017. Na agricultura familiar, o Banco do Nordeste aplicou, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), R$ 3,1 bilhões, com 9,5% de crescimento.