Prefeitura do Natal vai lançar campanha “Violência contra a mulher não tem explicação, tem lei”


A escalada de violência contra mulheres no Brasil cresce num patamar de pandemia. Diante deste cenário, no Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Prefeitura de Natal lançará um alerta em forma de campanha com o tema “Violência contra a mulher não tem explicação, tem lei”. O lançamento oficial da campanha será feito na próxima segunda-feira (8) no Palácio Felipe Camarão, com participação do prefeito Álvaro Dias e da secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Andréa Ramalho. 
 
Por conta dos protocolos da Covid, será em formato de live, transmitida pelo canal do Youtube da Prefeitura e demais redes sociais Instagram e Facebook. Mas a campanha já estará nas ruas em formato “busdoor” e também em outros meios como outdoors, rádio e tv. A campanha é coordenada pela Secretaria Municipal de Comunicação Social (Secom) em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (Semul).
 
O objetivo da ação é divulgar os canais de atendimento e ampliar a rede de proteção para mulheres de todas as idades. Segundo levantamento da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, somente nos primeiros meses a Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, teve um aumento de 36% de ocorrências. Em 2020, ocorreram 1.427 atendimentos no Centro de Referência da Mulher Elizabeth Nasser e, na Casa Abrigo Clara Camarão, 61 abrigamentos foram concretizados ao longo do ano. “Apesar do número expressivo de mulheres que passaram por nossos serviços, sabemos que muitas não tiveram condições de se desvencilhar do convívio com os seus agressores e superarem a situação de violência em que se encontrar”, comentou a secretária Andréa Ramalho. 
 
Para o prefeito Álvaro Dias, “nesta importante data oficializada pela Organização das Nações Unidas para celebrar as conquistas das mulheres em diversas áreas, políticas, empresariais e sociais, é também um momento de agir com mais dureza, e a informação é o melhor caminho para ampliar a rede de proteção das mulheres”, comentou. O secretário de Comunicação, jornalista Heverton de Freitas, afirma que a finalidade da campanha é “estimular a denúncia da violência contra a mulher exibindo as formas que as pessoas podem acessar em caso de emergência”. 
 
De acordo com a titular da Semul, Andréa Ramalho, a violência é real e precisa ser enfrentada. “A campanha surgiu da necessidade de ratificar os importantes mecanismos legais de proteção à mulher e tem como objetivo reforçar a importância da mensagem pelo fim da violência contra a mulher em todos os espaços da nossa sociedade e reafirmar a necessidade de denunciar todas as formas de violência”, disse a secretária. Ela destaca a importância da informação: “A partir do momento em que a mulher sabe o que está enfrentando e com quem pode contar, há a possibilidade de transcender essa triste realidade. Esta campanha é para todos porque a luta precisa ser compartilhada”, destaca ela.