“O que Alcolumbre está fazendo não se faz”, diz Bolsonaro sobre Mendonça no STF


Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou neste domingo (10.out.2021) o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) por travar a sabatina de André Mendonça no Senado. Bolsonaro disse “isso não se faz” e que é sua a competência de escolher um nome para o STF (Supremo Tribunal Federal).

Mendonça foi indicado em julho para uma vaga na Corte, mas ainda não teve sua sabatina na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que é presidida por Alcolumbre. O senador tem nas mãos o poder de pautar ou não sabatina do ex-ministro da AGU. Mendonça foi o nome “terrivelmente evangélico” escolhido por Bolsonaro, mas enfrenta resistência.

“Está indo para 3 meses que está lá no forno o nome do André Mendonça. Quem não está permitindo a sabatina é o Davi Alcolumbre, pessoa que eu ajudei por ocasião das eleições”, declarou Bolsonaro em entrevista à imprensa no Guarujá (SP).

O chefe do Executivo disse ter apoiado Alcolumbre no passado e declarou que o senador tem o direito de votar contra Mendonça, mas não de travar sua indicação.

“Ele [Alcolumbre] pediu apoio para eleger o [Rodrigo] Pacheco, eu dei. Teve tudo que foi possível durante 2 anos comigo e de repente ele não quer o André Mendonça. Quem pode não querer é o plenário do Senado, não é ele. Ele pode votar contra, mas o que ele está fazendo não se faz, a indicação é minha”, declarou.

Bolsonaro disse ainda que Alcolumbre teria o poder de indicar um nome para o STF se concorresse à Presidência da República em 2022 e fosse eleito. “Ele se candidata a presidente no ano que vem, no 1º semestre de 23 tem duas vagas para o Supremo”, disse.

Na 6ª feira (8.out), Bolsonaro afirmou que a indicação de Mendonça era um “problema sério” por haver “correntes” contrários ao nome do ex-advogado geral da União. O presidente disse receber “recado” de interessados em poder indicar um nome para a vaga na Corte em troca de favores o governo.

Poder360