Economia do RN teve aplicação de mais de R$ 52 milhões via AGN em dois anos


Empreendedores e empresas do Rio Grande do Norte conseguiram uma aplicação de recursos, via Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN-RN), um volume total de R$ 52,8 milhões em pouco mais de dois anos. Ao todo, são 13.107 operações de crédito para investimento e capital de giro para setores diversos da economia, como artesanato, agricultura familiar, comércio, cultura, economia solidária, empreendedorismo jovem, indústria e turismo.

Uma parte relevante dos recursos financiados foi concedida entre março de 2020 e março deste ano, quando R$ 30,6 milhões em crédito foram garantidos a 6.234 empreendimentos no estado. A AGN é, inclusive, destaque entre as instituições financeiras do país com desempenho quase três vezes maior do que a média nacional, em termos proporcionais, entre pedidos de financiamentos e liberações realizadas, segundo levantamento do Sebrae e FGV.

A Instituição Financeira de Desenvolvimento, inclusive, alcançou em 2020 o maior volume de recursos financiados da história com um total de R$ 28,4 milhões investidos para apoiar empreendedores de todas as regiões do estado. O desempenho no ano passado supera em 59% o resultado obtido em 2019, até então o mais expressivo do programa, quando um total de R$ 17,9 milhões havia sido financiado junto aos empreendedores potiguares.

Para assegurar o desempenho num momento importante para o setor produtivo do estado, a AGN tem flexibilizado normativos internos, ampliados prazos de carências e limites de financiamento, criado novas linhas, diversificado ferramentas de atendimento ao empreendedor e democratizado o acesso ao crédito para garantir que os financiamentos possam ser concedidos a mais pessoas e de maneira mais ágil.

Há ainda um diálogo permanente com diversas instituições e o setor produtivo, bem como, o reforço na atuação em parceria com o Sebrae, Câmaras de Dirigentes Lojistas, Prefeituras e Associações pelo estado, além de passar a atuar ao lado da Fundação José Augusto, Semjidh, Sethas, Sedraf para ampliar o atendimento a empreendedores em negócios de setores ainda não atendidos.

Para a diretora-presidente da AGN, Márcia Maia, a instituição tem integrado o esforço do Governo do Estado em defesa dos empreendedores e do setor produtivo, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia que tem afetado o mundo por mais de um ano. 

“Reconhecemos o papel anticíclico da Agência de Fomento no contexto da pandemia e, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia e as limitações estabelecidas pelo Banco Central na atuação da instituição, temos feito tudo ao nosso alcance para cumprir nosso compromisso de apoiar os empreendedores do estado e contribuir para o desenvolvimento econômico, social e humano em solo potiguar”, concluiu Márcia.

Principais medidas adotadas pela AGN-RN:

• Novas linhas de crédito para Agricultura Familiar, Cultura e Artesanato, Economia Solidária, Juventude Empreendedora, além de informais e MEIs da cadeia produtiva do Turismo;
• Ampliação de prazos de carências e limites de financiamento durante pandemia;
• Habilitação para operação do Fungetur;
• Habilitação no Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe/Sebrae);
• Retomada da operação do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE);
• Recursos exclusivos para setor de bares, restaurantes e atividades ligadas ao Turismo;
• Dispensa da exigência de balanço financeiro para financiamentos até R$ 50 mil;
• Dispensa de apresentação de licenciamento ambiental para bares e restaurantes;
• Apresentação de plano de negócio simplificado;
• Dispensa da exigência apresentação terceiro como avalista para empresas limitadas;
• Ampliação da equipe do setor para dar mais celeridade ao processo de liberação o crédito;
• Elaboração de plataforma online própria para facilitar o acesso ao crédito;
• Atendimento de clientes via Whatsapp;
• Ampliação de parcerias com diversas instituições, organizações e do setor produtivo.