CEO da Apple critica práticas de redes sociais e acirra briga com Facebook


O CEO da Apple, Tim Cook, criticou o papel que algumas redes sociais desempenham para desinformação e polarização. Ele participou da conferência remota Computers, Privacy and Data Protection, na 5ª feira (28.jan.2021).

Cook falou sobre privacidade e segurança na indústria de tecnologia e o que a Apple está fazendo para proteger as informações dos usuários.

Sem citar o Facebook, o chefe da Apple fez críticas indiretas à empresa de Mark Zuckerberg.

Cook comentou sobre a prática de aplicativos que coletam “muitas informações“. Ele também falou das consequências que altas taxas de engajamento das plataformas podem gerar para o aparecimento de teorias da conspiração e incitação à violência.

“Em um momento de desinformação galopante e teorias de conspiração alimentadas por algoritmos, não podemos mais fechar os olhos para uma teoria da tecnologia que diz que todo engajamento é um bom engajamento – quanto mais longo, melhor – e tudo com o objetivo de coletar o máximo de dados possível”, disse Cook.

As duas gigantes de tecnologia vêm manifestando publicamente suas insatisfações. Em dezembro de 2020, Dan Levy, vice-presidente de Produtos de Anúncios e Negócios do Facebook, disse que a Apple está “se comportando de forma anticompetitiva, usando seu controle da App Store para beneficiar seus resultados financeiros às custas dos desenvolvedores de aplicativos e pequenas empresas“.

Segundo Levy, a nova política para o iOS 14 da Apple que a empresa de Cook está criando “diz respeito ao lucro e não à privacidade“.

“Isso forçará as empresas a recorrerem a assinaturas e outros tipos de pagamentos em aplicativo para obter receita, o que significa que a Apple irá lucrar em cima disso e muitos serviços gratuitos terão que começar a cobrar ou então sair do mercado“, afirmou.