Bolsonaro sobre igrejas: “Último local procurado antes do suicídio”


Jair Bolsonaro visita Chapecó (1)Reprodução

Em agenda em Chapecó (SC) na manhã desta quarta-feira (7/4), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse esperar que o Supremo Tribunal Federal (STF) mantenha a liminar do ministro Kassio Nunes Marques, que permitiu a abertura de templos religiosos, ou que algum magistrado peça vistas, para o assunto ser mais discutido.

“Eu espero que daqui a pouco — está previsto o Supremo Tribunal Federal julgar a liminar do ministro Kassio Nunes — ou que a liminar seja mantida ou que alguém peça vistas para que nós possamos discutir um pouco mais a abertura ou não de templos religiosos”, disse ele em discurso.

Em seguida, o mandatário afirmou que a abertura de igrejas é necessária, tendo em vista o aumento nos índices de suicídio no Brasil. Ele acrescentou que, em um país de maioria cristã, o direito de culto deve ser assegurado.

“Qual o último local que alguém procura antes de praticar um suicídio – que aumentou em muito no Brasil? São as igrejas. Quem não é cristão que não vá, mas não queira tirar o direito, a liberdade de quem quer procurar um pastor ou um padre.”

No último sábado (3/4), o ministro Nunes Marques, indicado à Corte por Bolsonaro, decidiu que governadores e prefeitos não podem proibir a realização de missas e cultos, apesar da situação da pandemia de coronavírus. O assunto é polêmico, e o plenário do Supremo deve votar, nesta quarta (7/4), se os templos religiosos realmente poderão funcionar.

Bolsonaro elogiou a atuação do prefeito de Chapecó, que, assim como o presidente, é defensor do tratamento precoce, com a adoção de medicamentos sem eficácia comprovada no combate à Covid-19. O chefe do Executivo ainda questionou a amplitude da doença causada pelo coronavírus no Brasil.

“O problema está aí. Soluções, algumas aparecem, como a de Chapecó. Outras virão. Como disse desde o começo: temos que ter coragem para decidir. Se ficar parado, esperando solução, o problema, além desse do vírus, teremos outro, o do desemprego, que leva à depressão, à falta de esperança e a que outras doenças sejam agravadas. Parece que no Brasil só tem Covid. Acabaram as outras mortes, os outros sofrimentos? Não.”

Agenda no Sul

O presidente visitou o Centro Avançado de Atendimento à Covid-19 no estado. Estavam presentes no evento o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), e a governadora em exercício de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido).

Acompanham o presidente na agenda no Sul do país os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga; das Relações Exteriores, Carlos Alberto França; do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno; e da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni.

Após Chapecó, Bolsonaro terá agenda em Foz do Iguaçu (PR), para acompanhar o término da obra da pista de pouso e decolagem, além de inaugurar o novo pátio de manobras e a duplicação da via de acesso ao aeroporto da região.

O titular do Planalto também participará da cerimônia de posse do novo diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general João Francisco Ferreira.

À noite, em São Paulo, o presidente vai se reunir com grandes empresários brasileiros. O objetivo do encontro, articulado pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, é reaproximar o mandatário da República dos responsáveis pelo mercado financeiro.

Fonte: Metrópoles