Bolsonaro admite possibilidade de se vacinar contra a covid-19


O presidente Jair Bolsonaro disse nessa 6ª feira (5.mar.2021) que “lá na frente” pode se vacinar contra a covid-19. A fala representa uma mudança no discurso do presidente, que em diversas ocasiões afirmou que não tomaria o imunizante.

No meu caso, o pessoal fica perturbando ‘tome a vacina’. O que é vacina? Não é um vírus morto? Eu já tive o vírus vivo. Então estou imunizado. Deixa outro tomar a vacina no meu lugar. Lá na frente, depois de todo mundo, se eu resolver tomar, porque no que depender de mim é voluntário, não pode obrigar ninguém a tomar vacina, eu tomarei”, declarou em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Foco do Brasil gravou o encontro e publicou em seu canal do YouTube.

Bolsonaro foi diagnosticado com covid-19 em julho de 2020. Ainda não se sabe quanto tempo duram os anticorpos no organismo depois da contaminação com o coronavírus.

O Brasil vacinou pelo menos 7.858.792 pessoas com a 1ª dose de imunizantes contra o coronavírus até as 17h30 desta 6ª feira (5.mar). Ou seja, 3,7% da população.

Na conversa com os apoiadores, Bolsonaro lamentou as mortes por covid-19 no Brasil. Com mais 1.800 vítimas nessa 6ª feira (5.mar), a média de mortes pela doença teve pico pelo 10º dia.

O país tem registrado número elevado de mortes confirmadas a cada dia. Na 5ª feira (4.mar), foram 1.699. Na 4ª feira (3.mar), foram 1.910 –maior quantidade já registrada em 24 horas desde o início da pandemia.

O Brasil acumula 10.869.227 casos e 262.770 mortes por covid-19 até 17h30 de 6ª feira (5.mar)

A gente lamenta as mortes, mas você tem que enfrentar o problema. Repito, lamento as mortes, mas tem que enfrentar o problema. Não tem como fugir dele, o vírus está aí”, falou Bolsonaro.

O presidente voltou a criticar as medidas de restrição impostas por prefeitos e governadores.

Hoje em dia com essa historinha de ‘fique em casa, a economia a gente vê depois’. E aí, alguns governadores mandando os policiais reprimirem usando, em alguns Estados, com violência, o cara não tem como ganhar a vida dele. Vai ganhar como? Como é que vai levar o pão para casa? Imagine um cara casado. É comum o pobre ter 3, 4 filhos, é comum. Eu sou classe média e tive 5”.

Fonte: Poder360/Foto: Sergio Lima