Suspeita de nomeação casada no Ministério do Trabalho envolveu presidente do TRT21


Uma investigação aberta pelo Ministério do Trabalho para apurar a conduta do ex-servidor Pablo Antônio Fernando Tatim dos Santos, que ocupou a coordenação jurídica do gabinete do ministro da Transição, Onyx Lorenzoni, envolve o desembargador e presidente do Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Norte, Bento Herculano, na época apenas desembargador e que presidirá o TRT da 21ª Região no biênio 2019/2020.

Um processo administrativo disciplinar foi aberto en 13 de novembro de 2018 pela pasta para apurar a suspeita de nomeação casada envolvendo Pablo Tatim e a esposa de Bento Herculano. As informações são do jornal O Globo.

Os fatos que envolvem o gabinete de Bento Herculano, segundo O Globo, diz respeito a possibilidade de uma “nomeação casada”. “Depois de passar pelo ministério, Tatim foi nomeado assessor do desembargador. No dia em que foi exonerado da pasta, a mulher do magistrado assumiu o mesmo cargo dele no ministério, por indicação do próprio Tatim, conforme o PAD aberto’, destacou o Jornal O Globo.

Em 5 de maio de 2017, narrou o jornal, Tatim foi nomeado assessor – também num cargo comissionado – do desembargador Bento Herculano Duarte Neto, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio Grande do Norte. A exoneração dele do Ministério do Trabalho saiu 14 dias depois, em 19 de maio daquele ano. No mesmo dia, Rachel Fernanda Guarienti Duarte foi nomeada assessora especial do MTE. Ela é mulher do desembargador Bento Herculano Neto.