Segurança na ALRN

Segurança dentro e fora da Assembleia Legislativa


Zelar pela segurança do Legislativo e contribuir com o aumento do policiamento nas ruas. Esse é o objetivo da Assembleia do Rio Grande do Norte, que está criando a Polícia Legislativa e devolvendo os militares, que estavam à disposição da Casa, para que voltem a trabalhar no policiamento ostensivo do Estado. O objetivo do presidente da Casa, Ezequiel Ferreira, é realizar concurso para os novos policiais em 2016.

Pelo planejamento, 30 vagas serão criadas e os cargos serão ocupados por candidatos que tenham nível superior, pré-requisito para a disputa por vagas no concurso. Entre as suas funções, a Polícia Legislativa será a responsável pela prevenção de incidentes no Palácio José Augusto e demais setores da Assembleia, além de parlamentares, funcionários e da população que estiver nas dependências da Casa.

Para conseguirem a aprovação, os candidatos terão que fazer provas de conhecimentos, exames psicotécnicos, prova de capacidade física e mental, além de comprovar a ausência de antecedentes criminais.

Mesmo sem a realização do concurso, a Assembleia diminuiu de 44 para 26 o número de policiais militares em atuação no Legislativo, contratando temporariamente segurança privada para a continuidade dos serviços de vigilância do patrimônio. Já a Coordenadoria da Polícia cuida de toda a segurança Legislativa, desde a estrutura física à segurança dos deputados, e está sob o comando do coronel Francisco Araújo, ex-comandante geral da PM no RN.

Ainda na atuação da segurança, o Legislativo formou a Brigada de Incêndio, que faz parte da reestruturação posta em prática na gestão e trabalha na prevenção e combate a incêndios da Casa. Ao todo, cinco profissionais atuam nas ações preventivas e emergenciais, sendo responsável também pela evacuação de prédios e ações de primeiros socorros, caso seja necessário.

“A estrutura do prédio da Assembleia requer pessoal especializado no quadro de servidores para enfrentar incidentes e zelar pelas instalações. Assim como a Polícia Legislativa é importante para fazer a segurança do presidente, deputados, servidores e visitantes da Casa”, disse o gerente da Polícia Legislativa, Tenente Coronel Pires.

“Esta Casa tem a segurança que precisa. Ate mesmo em momento de protestos. Recebemos Eduardo Cunha e o ministro Lewandowski sem transtornos, prova de que estamos preparados”, afirma coronel Araújo.