enem

Secretário de Educação não vai solicitar adiamento do Enem no RN


Mesmo com o grande debate acerca da realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo domingo 17, em razão do aumento dos casos de Covid-19 em meio à pandemia da, o Secretário de Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do Rio Grande do Norte, Getúlio Marques Ferreira, afirmou ao Agora RN que não pretende solicitar o adiamento da prova no estado.

De acordo com o secretário, a pasta leva em consideração a promessa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação das provas, que garantiu que vai assegurar as condições necessárias de segurança sanitária para os estudantes potiguares inscritos.

“Embora a pasta enxergue que o risco da pandemia não esteja apenas concentrado no local de prova, mas inicie desde o deslocamento dos alunos, o Inep assegurou que garantiria a segurança sanitária para os estudantes. Confiamos nisso”, afirmou.

Nesta terça-feira 12, a Justiça Federal negou o pedido feito pela Defensoria Pública da União (DPU) e do Ministério Público Federal (MPF) para alterar as datas do Enem, mas indicou que os governos locais podem barrar a realização do exame considerando a situação da pandemia em seus municípios. Nesses casos, os governos locais poderiam pedir a reaplicação e o Inep teria a obrigação de oferecer a prova em outra data.

A realização do Enem 2020 colocará 5,78 milhões de candidatos em circulação. O exame terá 14 mil locais de prova e 205 mil salas em todo o país. O balanço com número de cidades que terão Enem só será divulgado após a aplicação, segundo o Inep. Em relação aos estados, SP é o que tem o maior número de inscritos (910.482), seguido por MG (577.227) e BA (446.978). Os estados com menor número de inscritos são RR (16.897), AC (41.841) e AP (47.279).

Originalmente, o exame seria feito em novembro, mas foi adiado devido à pandemia. Com o aumento no número de casos de transmissão no país, entidades estudantis e a Defensoria Pública da União pediram um novo adiamento da prova. O texto da decisão da Justiça cita que a pandemia varia em cada região do país e que fica a cargo das autoridades sanitárias locais decidirem se há segurança para a realização da prova.

#AdiaEnem Recentemente, o movimento “#AdiaEnem” ganhou força nas redes sociais. Estudantes pedem o adiamento das provas devido ao aumento dos casos confirmados de Covid-19 nas últimas semanas. Os internautas lembraram a morte do diretor responsável pela execução do exame, o general Carlos Roberto Pinto de Souza, de 59 anos, que foi mais uma vítima da doença.

A maioria dos comentários nas redes sociais pede o adiamento. Emerson Damasceno, por exemplo, escreveu no Twitter: “Espero que o Judiciário – seja via TRF, STJ ou STF – determine, a tempo, novo adiamento da realização do #Enem2021. Estudantes e seus familiares não merecem esse risco. Menos ainda estudantes com deficiência e do grupo de risco”.

Fonte: Agora RN