Secretaria de Saúde reduz casos confirmados de dengue em 76% e chikungunya em mais de 90% de 2018 para 2019


Um trabalho incansável de diversos profissionais da Secretaria de Saúde, coordenado pela Vigilância em Saúde, conseguiu reduzir em 76% os casos confirmados de dengue de 2018 para 2019 em Mossoró. Os números foram ainda mais expressivos na redução de casos confirmados de Chikungunya, de 91% no mesmo período de comparação. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN/NET).

A secretária de Saúde, Saudade Azevedo, comemorou as reduções nos números dos casos confirmados e voltou a reafirmar que Mossoró fez e continua fazendo seu dever de casa no combate as arboviroses. “Somos testemunhas de uma luta incansável realizada pelos servidores da Secretaria de Saúde, mas principalmente pelos agentes de endemias. É um trabalho de porta em porta na busca por eliminar qualquer foco de vetores. Sempre apoiamos essa causa e ainda no ano passado melhoramos as condições dos agentes distribuindo fardamento completo mais material de trabalho, o que eles não tinham há muitos anos”, afirmou Saudade.

A secretária também reconheceu o papel do mossoroense nessa redução, mas destacou que é preciso uma sensibilização para que seja possível reduzir, ainda mais, os casos confirmados das doenças na cidade. “Todos nós sabemos o que é preciso fazer para combater e eliminar os focos de mosquitos transmissores de doenças como dengue e chikungunya. Os agentes de endemia e de saúde não conseguem vencer essa guerra sozinhos. A sociedade precisa fazer parte desse processo e proteger ou eliminar qualquer recipiente com água parada que posso servir de criadouro. Juntos nós somos mais fortes e conseguimos resultados que são benéficos para toda a cidade.”, pontuou Saudade.

Os números são expressivos e refletem o trabalho coletivo realizado ao longo dos últimos anos.

Fonte: Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN/NET).

Uma série de fatores contribuíram para a Secretaria de Saúde conseguir reduzir os números de casos confirmados na cidade. Dentre os principais estão o trabalho de rotina dos agentes de endemias; recolhimento de aproximadamente 30 mil pneus em 2018 e 2019; Trabalho em conjunto com o projeto Família em Foco; trabalho de educação em saúde em 46 escolas do Município, Estado e particulares; tratamento focal em 331.421 imóveis; visitas em 504.132 imóveis; Cumprimento de 6 ciclos completos de visitas no ano; Apoio institucional em Unidades de Serviços de Saúde (UBSs, UPAs e Hospitais); Trabalho da educação em saúde em equipamentos sociais (CRAS, Igrejas, Comércios, empresas, etc.); Divulgação na mídia; Integração da Vigilância em Saúde com o Centro de Controle de Zoonoses e demais Secretarias; Resgate do Plano de Contingencia, que foi resgatado na atual gestão e norteia todas as ações que a Secretaria de Saúde desenvolve em relação as arboviroses.

A diretora da Vigilância em Saúde, Iranilde Campos, fez questão de reconhecer o empenho de cada profissional e esclareceu o trabalho em conjunto que possibilitou a redução dos casos confirmados das doenças. “Tenho o sentimento de dever cumprido através das metas alcançadas. Planejamento oportuno, cumprimento das normas e diretrizes estabelecidas pelo Ministério da Saúde, por meio do Plano de Contingência elaborado e executado pela Vigilância em Saúde, Centro de Controle de Zoonoses, Coordenação das Endemias e Atenção Básica. Em especial ao trabalho realizado pelos agentes de endemias e a equipe de educação em saúde.”, afirmou Iranilde.

“As parcerias com os equipamentos sociais, encontros trimestrais com o comitê de gestor das arboviroses; Monitoramento e avaliação dos núcleos epidemiologia; Avaliação pertinente dos indicadores pela Vigilância Epidemiológica; A articulação e estratégias da Vigilância em Saúde com demais setores da Saúde e as Secretárias de Educação e Serviços Urbanos, que contribuíram com as ações de controle e combate aos vetores; A realização de recolhimento dos pneumáticos; As mobilizações comunitárias junto à população; O elo de Informações da mídia local nos espaços diversos; Apoio da SESAP/URSAP e seus dividos técnicos; O compromisso, apoio fundamental e expressivo da diretoria da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde e também, claro, o apoio expressivo da prefeita Rosalba Ciarlini.”, concluiu Iranilde Campos.