05 de outubro de 2018

Em Mossoró mais de 70% dos consumidores pretendem presentear no Dia das Crianças


Última data comemorativa antes do Natal, o Dia das Crianças é apontado por especialistas como um termômetro para o desempenho das vendas no final do ano. Em Mossoró, a maioria dos consumidores (73,49%) deve ir às compras este ano no Dia das Crianças, de acordo com a pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEDAT). Entre os que afirmaram presentar alguma criança, 31,33% deve gastar entre R$ 50 à R$ 150 reais.

A pesquisa ouviu 249 pessoas no período de 20 a 25 de setembro. Os números representam uma redução de 5.89 pontos percentuais em relação à intenção de compra dos mossoroenses registrada em 2017, que foi de 79,38%. Os brinquedos permanecem como primeira opção na intenção de compra de 42,57% das pessoas; seguidos por itens de vestuário/calçados com 29,72% e eletrônicos ocupando 5,22% da opção de presente para a data.

Do total de pessoas abordadas que alegaram adquirir algum produto, 31,33% pretendem gastar na faixa de preço de R$51,00 a R$150,00. Outros irão gastar somente até R$50,00 (22,89%), seguindo dos que desejam ficar entre R$151,00 e R$250,00 (9,64%), e acima de R$250,00 (5,62%). No tocante a forma de pagamento, a maioria dos compradores (42,17%) pretendem pagar à vista, 19,28% no crédito, 10,04% débito e 2,01% ainda não se decidiu.

O técnico em refrigeração, Leandro Cortês estava com o filho escolhendo o brinquedo em uma loja de variedades de Mossoró e afirma que esse ano deve gastar o dobro do que desembolsou em 2017. “Eu pretendo gastar até duzentos reais com presentes para meu filho nesse dia da criança”, afirmou.

Outro dado importante apresentado na pesquisa é referente ao local das compras. A maioria das pessoas ouvidas pretende adquirir os presentes no comércio de rua (38,55%) e 27,81% irão procurar as lojas localizadas em shoppings centers. Em seguida aparece a internet (2,41%) e ainda os que não decidiram o local (3,21%). “A preferência pelo comércio local é importante para economia do nosso município, pois faz com que esses recursos circulem e gerem oportunidade de emprego e renda para nossa gente”, comentou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Lahyre Rosado Neto.

Os 21,29% das pessoas que apontaram que não vão adquirir nenhum produto na data, a maior parte, representada por 8,03%, justifica não ter filhos, seguido dos 6,02% que disseram não ter dinheiro, enquanto 4,42% falaram não ter quem presentear e 2,01% justificaram ter filhos já crescidos.