Curso online do CNJ para nivelamento de servidores tem inscrições abertas


Servidores do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte podem se inscrever para o curso “Nivelamento dos Servidores do Poder Judiciário”, ofertado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com 24 horas de carga horária, o curso é ofertado na modalidade de ensino à distância e é destinado a aperfeiçoar competências e à melhoria das práticas dos profissionais da Justiça brasileira. Faça AQUI sua inscrição.

A participação no curso é um dos critérios de pontuação para os tribunais no Prêmio CNJ de Qualidade, lançado em maio pelo CNJ. Ela contabiliza 40 pontos na premiação, segundo as regras detalhadas na Portaria 88/2019.

“Inicialmente, a nossa ideia era criar um curso nacional de formação de servidores que acabaram de entrar para a carreira. Com o tempo, no entanto, mudamos a proposta para poder oferecer, por meio do curso, uma oportunidade de formação continuada dos nossos servidores, independentemente do estágio em que se encontrem na carreira”, explica Diogo Ferreira, chefe do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Servidores do Poder Judiciário (CEAJud).

Cerca de 15 mil pessoas já se inscreveram no curso, o que o torna o mais procurado desde que o CNJ começou a ministrar cursos à distância, em 2009.

Conteúdo

A formação é dividida em seis módulos: estrutura e atribuições do Poder Judiciário; gestão de pessoas; gestão estratégica e estratégia nacional; indicadores do sistema de estatística; sustentabilidade e tabelas processuais unificadas. A elaboração dos conteúdos ficou a cargo de servidores do Departamento de Gestão Estratégica (DGE), Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ) e do próprio CEAJud.

Um dos objetivos da capacitação é proporcionar noções de gestão de pessoas e de gestão estratégica com enfoque no planejamento das Metas Nacionais, construídas em conjunto por meio da Rede de Governança Colaborativa.

“No curso, os servidores serão expostos aos indicadores do sistema de estatística do Judiciário e identificarão como as informações prestadas pelos tribunais ao CNJ são importantes e fazem parte da construção das políticas públicas propostas pelo Conselho. Os alunos conhecerão ainda as Tabelas Processuais Unificadas e como elas facilitam o trabalho dos advogados, o acompanhamento processual pelas partes, o levantamento estatístico dos dados, bem como a própria gestão do sistema”, destaca Diogo Albuquerque.

* Com informações da Agência CNJ de Notícias