Cajucultores de Severiano Melo terão renda triplicada com unidade de beneficiamento de castanha
22 de fevereiro de 2018

Cajucultores de Severiano Melo terão renda triplicada com unidade de beneficiamento de castanha


A extração da castanha de caju é uma prática repassada há várias gerações na comunidade Ipoeira, em Severiano Melo. A tradição é tão antiga que há cajueiros plantados – e vivos até hoje – há mais de 130 anos. Cleilton Menezes, 37, é um dos herdeiros desse legado e hoje comemora a conclusão da unidade de beneficiamento de castanha na comunidade, que vai triplicar a renda dos produtores. Quem antes vendia o quilo da castanha bruta por R$ 12,50, agora vai poder comercializar beneficiada a R$ 45/kg.

“Vamos triplicar nossa renda, porque agora iremos beneficiar e vender nosso próprio produto”, comemora Cleilton, presidente da Associação dos Agricultores da comunidade. Isso graças ao investimento do Governo do RN por meio do Governo Cidadão, Secretaria de Agricultura e Banco Mundial, através do projeto piloto de cajucultura. Foram aplicados R$ 327 mil na implantação de 26 hectares de cajueiro anão precoce e reforma e ampliação da unidade de beneficiamento, com aquisição de equipamentos necessários ao processo industrial.

O potencial produtivo é tão grande que somente um produtor da localidade chegou a comercializar 12 mil quilos de castanha no ano algum tempo atrás, o que deixa os produtores ainda mais animados para o novo momento. Félix Cavalcanti, 52, é um dos que herdou o cultivo do pai e trabalha com castanha desde pequeno. “Nunca imaginei que esse dia ia chegar. Todo esse tempo apenas tiramos a castanha e vendemos bruta, agora poderemos beneficiar e agregar valor”, emenda.

Para Francisco José Cavalcanti, 26, a unidade de beneficiamento é uma maneira de poder trabalhar os 12 meses do ano, já que antes eles só trabalhavam durante a safra de caju. “Eu vivia de bicos nos meses que não tinha castanha. Agora vou ter meu dinheiro garantido o ano todo”, comemora.

O projeto do Governo do RN incluiu ainda a distribuição de 22 mil mudas de caju, das quais 18 mil já foram plantadas no viveiro instalado na comunidade. A meta dos agricultores é começar a vender a castanha beneficiada nas cidades vizinhas a Severiano Melo, mas também expandir para outras regiões do estado.

Para o coordenador do projeto Governo Cidadão, Vagner Araújo, é um meio de manter viva a cajucultura na região e gerar emprego e renda para os agricultores. “Severiano Melo tem grande potencial que precisa ser incentivado e fomentado. Agregar valor à castanha produzida em Ipoeira é assegurar que o cultivo continuará sendo passado entre as próximas gerações”, destaca.