Aplicativos de relacionamento registram crescimento na pandemia e psicóloga explica os efeitos nas relações


O distanciamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus impossibilita de parceiros e até amigos se encontrarem em eventos físicos. Esses fatores, levaram à busca pelos recursos digitais e têm rendido conexões cada vez maiores para aplicativos de relacionamento, cuja proposta é conectar, por meio online, pessoas com os mesmos interesses. Mas, a psicóloga do Hapvida Saúde, Adriana Melo, alerta para os cuidados neste tipo de relação.

”Durante este período em que pessoas ficam em casa, o uso dos aplicativos aumenta e, como os usuários não podem se ver pessoalmente, acabam interagindo ainda mais e desenvolvendo conversas com o intuito de criar um maior vínculo afetivo. Por isso, quando o indivíduo do outro lado é um completo estranho não devemos fornecer dados pessoais e intimidades. É importante ter responsabilidade diante do que a sociedade está passando nesse momento”, afirma a especialista.

Há aplicativos que registraram crescimento de 70% de novos usuários. ”No isolamento, esses aplicativos podem servir de escape para a solidão e ajudar pessoas a passarem pelo distanciamento social de forma mais tranquila. É importante criar o vínculo social e também continuar os novos romances, mesmo que apenas de maneira digital, tomando os devidos cuidados e aproveitar para se conhecer melhor também”, esclarece a psicóloga Adriana Melo.

Embora os encontros presenciais estão prejudicados pela quarentena, o contato virtual pode ser mantido para fortalecer os relacionamentos. Para a especialista do Hapvida Saúde ”esse é um processo de descobrir coisas positivas e construir novas maneiras de viver nesse isolamento social. Durante a pandemia, as relações estão passando por um processo de ressignificação”, finaliza.